EN | PT

ANTONIO FRANCHINI

“Uma tremenda responsabilidade para mim ter que reduzir um grupo de 100 bons artistas a apenas 20! Abstendo-me da minha veia artística, pois confesso-vos que seria muito difícil excluir colegas, tive que me valer da minha missão de curador e galerista para o fazer e aí a tarefa também se mostrou de fato difícil tal o valor dos artistas concorrentes. Há que lamentar não terem entrado mais que 20 pois de fato os portfolios eram muito bons, mas a mensagem que passo é de parabéns a todos eles, pois o fato de estarem nos 100 melhores já foi uma grande vitória. Congratulo também os meus colegas de júri que se mostraram tal como eu, totalmente isentos, imparciais e profundamente empenhados neste projeto. Temos tudo para que "Portugal Now " seja um marco na Historia da Arte Contemporânea portuguesa!” Franchini

António Franchini, ou simplesmente Franchini (Porto, 1959-), é um pintor português, pertencente a uma geração tardia, motivada pela castração paterna e por culpa de um regime do Estado Novo. Teve uma ação artística e cívica intensa na década de 1970, culminando com o 25 de Abril. A partir daí começa a sentir-se mais livre para exprimir a sua arte, tendo convivido com alguns dos atuais mestres da pintura e escultura portuguesa, que abrem a mente para a arte.

 

Contudo definitivamente é marcado pela imposição de ser médico ou economista. Envereda pela Gestão de empresas e vive uma vida deprimente em que nunca se conseguiu realizar, pese embora ter chegado a Diretor de uma instituição de crédito. A morte prematura de seu pai e um brutal acidente de viação faz com que a sua vida tomasse o rumo que deveria ter levado desde há 25 anos atrás. Reforma-se da banca e inicia o seu percurso artístico. Após um curso intensivo de desenho figurativo e um curso de cerâmica, começa a expor coletivamente. Jaime Isidoro presente numa das primeiras exposições coletivas augura-lhe um bom futuro. Recomeça a relacionar-se no meio das artes portuenses. Funda a sua primeira galeria, a Franchini'Galeria em Miguel Bombarda e de seguida com quatro amigos a AP'Arte Galería na mesma rua. Foi um dos sócios da Oficina 2000&5, um espaço dedicado à criação de projetos cerâmicos e escultóricos de autor.

 

É membro da ANAP -Associação Nacional dos Artistas Plásticos de Portugal, foi Diretor Cultural para Portugal da APAP-SP Associação Profissional de artistas plásticos de São Paulo, actualmente é Diretor para Portugal da UP Arte -Brasil. É embaixador da NONViolence, um projeto criado por Yoko Ono, viuva de John Lennon.

 

Neste momento divide-se pelos seus ateliers do Porto e de São Paulo, onde além de expor, também realiza curadorias. Entrou em algumas Bienais, algumas das quais como convidado, e expõe regularmente em Portugal e no Estrangeiro, em Galerias, Centros Culturais e Museus.

Foi considerado artista internacional do ano 2012 pela PubliTime Editora – São Paulo - Brasil, prémio entregue pelo curador da editora, o artista visual Fernando Durão. O premio foi entregue no decorrer de um almoço no Clube Português de São Paulo. Tem atelier nas cidades do Porto e São Paulo

 

© BORDERLAND 2016

Mara Alves PortugArt Founder

Tel: +44 (0) 7425089060

E-mail: portugalnow2015@gmail.com

SOCIAL MEDIA

Com o apoio da Embaixada Portuguesa